12 de set de 2009

Zelina Castello Branco


Lá por 1982, despertou meu interesse por encadernação. Minha livraiada (tão poucos para ser considerado biblioteca) estava em péssimo estado, com as capas soltando, as costuras rotas e as páginas sujas. Comprados já usados, herdados de familia ou comprados de livraria, pediam socorro. Os primeiros sairam toscos, eficientes mas horrendos. Então o Gino da antiga livraria de usados Guttemberg, o Salim ex-presidente de sindicato de indústrias de papel e dono de uma maravilhosa coleção de livros, e Chaim, o da livraria mesmo, me deram o livro de Zelina Castello Branco.

Foi uma descoberta atrás da outra. Direta e didática, me deu as primeiras instruções, junto com muita tentativa e erro de minha parte, mais pesquisa e prática, fui desenvolvendo minha própria técnica, sempre mais orgulhoso por reviver detalhes da verdadeira encadernação clássica do que por inventar novos métodos. Quando me deparava com algum impasse, imaginava o que Zelina faria. Quando terminava um livro, imaginava qual seria a avaliação de Zelina. Afinal, muitos dos grandes mestres da encadernação eram mulheres, como Santa Wiborada.

Tornou-se de fato minha mestra.

Era titular da “Leart – Livraria e Encadernação”, é viúva do escritor, jornalista e bibliófilo Carlos Heitor Castello Branco, um expert em livros. Instalada no bairro de Pinheiros, em São Paulo, com um catálogo de livros que alegravam o mais exigente dos colecionadores que a visitam para pesquisa de raridades. Hoje com 86 anos, está em "inquieta aposentadoria".

Um dia desses, fui às nuvens quando me telefonou. Fiquei muito honrado com sua atenção ao meu trabalho e apaixonado por essa mulher fascinante.

Atualizar a vida é preciso.

No dia 11 de Maio de 2015, faleceu Zelina Castello Branco, mulher valente e criativa que deixou o mais digno e puro trabalho de Encadernação Clássica que já aconteceu no Brasil.

Foram 101 anos de vida inspiradora e produtiva.


Como ficou meu exemplar do Livro "Encadernação", de Zelina Castello Branco.

Esse Link leva ao catálogo de livros da Le Art.

Nenhum comentário: