11 de nov de 2011

Técnica de Encadernação - A Capa


Técnica de Encadernação

A Capa

Um dos elementos mais evidentes em qualquer encadernação clássica, é o papelão para as capas.
Originalmente as capas dos livros eram feitas de pranchas de madeira ao natural ou recobertas de materiais nobres, como couro, linho, pergaminho, velino, ferros decorativos e placas de metais nobres.
Com a popularização do livro e suas diversas conseqüências, entre elas, a logística, o barateamento e o processo inteiramente industrial para fabricação do livro, o papelão foi adotado como elemento da capa e persiste sendo usado até hoje.
Há diversos tipos atualmente à disposição.

O Papelão Cinza

O “papelão cinza” feito de celulose e a partir da polpa de pinus eliotis é o mais utilizado na encadernação “comercial”. É muito ácido, de qualidade que vai de regular a péssima, conforme seu fabricante e mesmo conforme a variação de humor do mesmo fabricante.
Assim como acontece com o papel, a qualidade vem se perdendo. A massa recebe cada vez menos colas aglutinantes e o papelão se apresenta cada dia que passa mais poroso e mole, o que se pode constatar ao primeiro olhar,  pois sua cor é mais para um azul claro ou um cinza claro, do que o velho e bom cinza escuro de antigamente.
Afianço que não uso esse tipo de papelão.

O Papelão Couro

Assim chamado por sua cor castanha, marrom claro, é feito de cascas de arroz ou trigo. Gosto de usar esse material por ser mais denso do que o cinza. Realmente é duro e resistente à deformidade. Também sofre variações de qualidade, com mais ou menos cola aglutinante, pois tenho pedaços mais antigos que são muito mais densos do que aquele que acabei de comprar. Coisas do baixo controle de qualidade e da falta de padrão de nossa brava indústria nacional.
Esse papelão permite capas mais finas, mas muito mais firmes e resistentes do que o papelão cinza, o que é uma característica útil quando se pretende economizar espaço em uma prateleira.
Regra de Ouro para usar o Papelão

Ao cortar o pedaço de papelão para o livro, verificar sua tendência de empenamento. O papelão tende a dobrar-se e empenar sempre na direção do lado de baixo, onde houve maior acúmulo de cola durante a prensagem, quando foi fabricado. É um pouco mais liso ou um pouco mais escuro do que o outro lado.
Se errar de lado, o papelão vai vergar ou empenar para fora e o livro vai ficar com aquelas asas estranhas, principalmente quando a umidade ambiente estiver baixa.
  
O Preparo do Papelão para as Capas

Escolhido o lado, o papelão deve ser lixado em todos os seus 12 LADOS.
Pois cada pedaço de papelão tem mesmo DOZE LADOS: os quatro lados da frente, os quatro lados do verso e os quatro cantos.
Os lados ou cantos da frente ou parte de cima da capa, devem ser lixados até que as bordas fiquem bem arredondadas, na proporção da grossura do papelão ou para alcançar o efeito desejado pelo encadernador.
Os lados de dentro podem ser lixados apenas o suficiente para tirar o fio cortante que ficou depois do corte do papelão, ou ainda conforme o efeito que o encadernador quiser obter.
Os cantos internos, perto da lombada, devem ser cortados em alguns milímetros e lixados. Esse corte impede que o canto “morda” o couro e cause um efeito de alavanca que força a lombada.
Os cantos à direita devem ser arredondados.


Capa lixada e lixas


Material para Lixamento

Costumo usar lixas grossas, coladas em um pedaço de papelão que caiba em minha mão.
É uma fase bem trabalhosa da encadernação, mas resulta em um todo mais orgânico, mais ergonômico, que não corta o material de acabamento. Muito da aparência de "antigo" de alguns livros, deve-se ao detalhe do arredondamento das capas por lixamento. Infelizmente essa foi uma - das muitas - boa técnica abandonada por dar mais trabalho ou que foi simplesmente esquecida pela encadernação comercial.


Enfim

Aprendi esse detalhe da boa técnica no livro “Encadernação” da grande mestra Zelina Castelo Branco e desde então nunca fiz um livro que não fosse trabalhado dessa forma, seja ele o mais simples livro de cartório ou o mais precioso livro raro.
Sempre experimentando, encadernei esse mesmo livro com capas exageradamente grossas e lixando o máximo. Como detalhe, usei lixa envolvendo um cano de metal para fazer as depressões nos lados.

Canto interno, cortado e arredondado
Cantos direitos arredondados






















"Encadernação", de Zelina Castello Branco, ficou assim
 

Nenhum comentário: